A FÁBRICA DA PREGUIÇA

O lugar em que surgem, surpreendidos e orbitantes, os produtos da alma marismática, entre as torres da incerteza e a carne acumulada da solidão.

16.11.05

Trova das vítimas e os carrascos vocacionais e vice-versa

Ontem à noite, tivem com o Mário uma conversa telefónica sobre a actualidade que foi interrompida polo factor paternidade, o qual me levou a concluir minha parte de conversa com este soneto, que -à maneira que usava a Natália Correia- explica o caso em humor e em harmonia. Um abraço para o Mário e para todos.


Diz-me o Mário, no meio da procela
mediática, informática, infinita
dos círculos políticos em vela,
que cumpre denunciar a antedita,

procelosa, ridícula e maldita
ofensiva das forças da maleva
policial governança, que não cessa,
detendo mesmo agora a quem dissinta.

E eu, obnubilado por trabalhos
que a classe atrabiliária donde venho
nem sonhava, misturado co velho

vulgo proletário das horas extra
sem pagar, digo ao Mário, meu amigo,
de leões e cristãos se faz o circo.

---

Pedro.

3 Comments:

Blogger Alfredo Ferreiro said...

Mágoa que falando em outros termos circenses, os palhaços verdadeiros passam fome, e os falsos cobram bem por permitir que louvem suas graças. Lindo jogo e poético em verdade, Pedro, em estes tempos que não sabem rir das cousas realmente sérias.

8:52 da tarde  
Anonymous Mário said...

Mas não se pode ser leão e cristão ao mesmo tempo. Talvez alguns quiserem ser simplesmente a areia molhada pelo sangue dos cristãos.

1:31 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Saiban que os leóns seguen nas Cortes españolas e que na Galiza moitos seguimos agardando a chegada do anticristo.

1:02 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home